sexta-feira, janeiro 23, 2009

 

Opinião/Política

PS Procura Candidato, em que acredite, à Câmara de Montalegre

O P.S. de Montalegre está sem liderança credível, preocupado com o desastre da gestão "familiar" do município e com razões de suspeitar que se Fernando Rodrigues vencesse novamente as eleições, tudo seria mais grave, mais vergonhoso para a alma socialista e trágico para o concelho, conhecidas que são as denúncias que têm vindo a público, que ao que parece ainda não é tudo.
Os verdadeiros Socialistas de Montalegre, que merecem respeito, não se revêem em alguém que logo que o Dr. Pires ganhou as eleições, apenas promoveu a sua imagem para na primeira oportunidade o empurrar para o Centro de Saúde e depois de se instalar no poder muito tem feito pelos dele. Não pelos Socialistas, nem tão pouco pelo Povo ou pelo Concelho.
Desmantelou e esfrangalhou o Partido Socialista de Montalegre, ninguém sabe quem são os actuais dirigentes concelhios. Apenas se conhece o Presidente da Câmara que manda e decide mal, sozinho, propagandista de uma política errada, daninha para o desenvolvimento do concelho e esquecida das necessidades e problemas sociais dos idosos, dos excluídos, dos doentes, das crianças e dos jovens.
Tudo gira à volta do seu grande ego, cuja vaidade desmedida gasta de forma colossal, desperdiça as potencialidades naturais e está a tornar um concelho que tem tudo para gerar riqueza, num deserto onde os poucos que cá vão ficando não têm qualquer perspectiva de futuro.
Fernando Rodrigues criou outro P.S. à sua imagem.
Um grupo que engana sem pudor mesmo quando tem as provas à frente do nariz.
Um grupo que faz da mentira e desinformação uma arma de publicidade, de fazer inveja ao ministro da propaganda de Sadam Hussain na última guerra do Iraque.
Já perdeu a confiança dos Homens e das Mulheres do Partido Socialista que não procuram benesses, mas sim o desenvolvimento do Concelho e o bem-estar da População.
Já perdeu a confiança dos Pais e das Mães do Partido Socialista que vêem os seus filhos partir, enquanto o Presidente da Câmara vai distribuindo pelos seus os poucos empregos que ainda vão surgindo em Montalegre.
Já perdeu a confiança dos Homens e das Mulheres do Partido Socialista que são austeros e respeitosos e a quem repugna tanta vaidade e despesismo.
Andou muito tempo disfarçado, qual lobo em pele de cordeiro, porque falava alto e inflamado, chamava aos outros aquilo que ele é, dizia e repetia até à exaustão, transformando o que não era, em verdades inquestionáveis. Chamava para não lhe chamarem.
Os verdadeiros Socialistas, aqueles que não andam atrás de migalhas que ele por distracção possa deixar cair, têm nobreza e abandonam-no.
É perante este drama que o Presidente da Câmara num último esforço procura enganar e recrutar votos no P.S.D.
Vai por mau caminho, porque no P.S.D. não há lugar para a traição e todos os que andam aos caídos, sem vergonha e ingratos, já não fazem parte do Partido há muito tempo e podem, por isso, continuar a acompanhar Fernando Rodrigues, porque estão bem uns para os outros.
O ideário e a tradição do P.S.D. estão com a actual Direcção, como estão os jovens e como estão, sem perder a dignidade, os Socialistas que não têm medo, que têm seriedade e que já deram conta que só lhes resta a possibilidade de unirem esforços, juntarem-se numa plataforma de gente que quer um Barroso melhor, com futuro e fugirem de Fernando Rodrigues como o diabo foge da Cruz. Continuarão a ser Socialistas, não são traidores, apenas não apoiam o socialismo de trazer por casa do Presidente, são verdadeiros Barrosões.
É este o resultado de qualquer sondagem popular.
Fernando Rodrigues também tem consciência disso, daí o seu desespero insultando os adversários políticos, tentando dividir para reinar, aliando-se a inimigos de outrora e traidores de há muito. O desnorte é tal, que nem dá conta que aqueles que quer promover para ganhar votos, afugentam tanto como ele. O P.S.D. agradece.
A tradicional festa de comemoração da vitória do Dr. Pires, ou da celebração da derrota de Carvalho de Moura, pois por muito que agora lhe interesse disfarçar é disso que se trata, mostrou como escreve Margarida Luzio no jornal Semanário Transmontano que foi feita:
"Com menos gente que o habitual e menos entusiasmo…esteve longe da mobilização de anos anteriores. Mesmo com uma tarde de sol. Mas além de menos gente, notou-se também menos entusiasmo…as siglas do partido foram entoadas apenas alguns segundos e, mesmo assim, com evidente falta de emoção…"
Hoje, quando se juntam duas ou mais pessoas do Partido Socialista, não do p.s. de Fernando Rodrigues, é visível a preocupação quanto ao futuro do Concelho e da População, tão mal tratados por esta politica desastrosa.
Analisam o que tem sido denunciado pela oposição e diga-se em abono da verdade também por cada vez mais pessoas Socialistas e, arquitectam como poderia ser mais próspera, mais solidária e atractiva para os investidores, esta bela terra Barrosã, se a gestão dos recursos naturais e financeiros tivesse sido confiada a alguém com outro sentido de responsabilidade.
Numa análise mais profunda e precavida relativamente ao futuro, nem querem acreditar no que poderia ser feito se o actual Presidente fosse reeleito para um último mandato. Se já agora é o que se vê, seria o fim desta Terra se ele governasse sabendo que já não teria que se sujeitar novamente ao voto popular.
Por isso sofrem com a sua legação e responsabilidade e tudo vão fazer para libertarem o concelho de um homem que foi eleito com os seus votos, proposto pelo partido a que são fieis e no qual depositaram confiança e esperança. Sentem-se atraiçoados. Querem que o Concelho seja de todos os que cá residem e não apenas de uma família.
Todos lhe fogem e, como se isto não bastasse para lhe retirar o sono, vê-se ainda condicionado por força da lei, a recrutar mulheres para as listas a candidatar às próximas eleições autárquicas.
Como é previsível, conhecendo a sua maneira de fazer política, irá pelo caminho mais fácil condicionando as mais vulneráveis e dependentes com promessas, ilusões e, quem sabe, até levando-as a sentirem-se na obrigação.
As funcionárias da Câmara não precisam de ter medo porque ele já está derrotado e mesmo que assim não fosse ainda há lei no País.
Não têm que fazer o sacrifício de ajudar quem está em desespero por culpa própria.
Não devem proporcionar nova oportunidade com promessas de quem não cumpre, nem devem recear pelo seu posto de trabalho porque nunca estará em causa e, muito menos, estarem agradecidas porque o emprego é um direito, não um favor e seguramente é com muita honra que servem os munícipes.
Quem semeia ventos colhe tempestades. Quem apenas olha para o seu umbigo, tendo a obrigação de olhar para o de todos, não tem qualquer mérito e a única coisa que se lhe deve fazer é corre-lo da Câmara antes que seja tarde.
Quem tem brio e orgulho Barrosão já deixou Fernando Rodrigues. Até os Socialistas do concelho vizinho de Chaves já se insurgem contra as viagens aos quatro cantos do mundo, à custa dos dinheiros que deveriam ser aplicados em benefício da População. É indecoroso e é imoral. Que passeie à custa dele!
Barroso pode ter esperança. Já hoje são muitos, figuras de destaque e credíveis, os Socialistas com a oposição.
Viva Barroso.
MSBB

Comments:
se não é o rodrigues, quem será o candidato?

propostas:

1 . o bezanas
2 . o da cooperativa
3 . o do museu

ainda assim, penso quwe o bezanas tem mais hipotese de ganha..

aceitam-se apostas...
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?


Locations of visitors to this page Ponte Misarela