quarta-feira, junho 18, 2008

 

Destaque

Bruxas Voltaram a Incendiar Montalegre
Bruxas à Solta no Castelo
Na passada sexta-feira, dia 13, Montalegre viveu mais um dia/noite de medos e sobressaltos, com os milhares de visitantes que acorreram ao Barroso para celebrar mais uma "Noite das Bruxas". E foi talvez por ser a única combinação de uma sexta-feira com um dia 13 em todo o ano de 2008, que levou esta edição a superar todas as anteriores em número de "peregrinos" do "mundo negro", prova de que se tornou num cartaz turístico único do nosso concelho.
O programa destas realizações já é mais ou menos constante, mas desta vez a organização ainda procurou juntar-lhe mais algumas surpresas capazes de tornar esta noite inesquecível. O S. Pedro também ajudou com uma magnífica noite, rara nesta Primavera.
Vários restaurantes, os que mais têm a ganhar com estas celebrações, voltaram-se a preparar com rigor, quer na decoração, com escadas à porta, bruxas, aranhas, velas, morcegos, quer nas ementas, feitas à base de carne de bruxas esfaqueadas, sopas de ortigas, pão que o diabo amassou, etc. tudo para tornar a atmosfera assustadora e infernal. Claro que as ementas apenas assustam pelos nomes e todos os convivas se regalam com petiscos "dos diabos", ou não fosse o barroso terra de iguarias culinárias.
Após o repasto, já depois das 22 horas, começou a reunião das bruxas, demónios e outros seres malignos na praça do município, também ela preparada a rigor, com muita luz e fogo até nos paços do concelho. Daqui se rumou às imediações do castelo, local dos principais cultos malignos, num enorme cortejo fantasmagórico. Já no castelo, e ainda antes do espectáculo do grupo de teatro contratado, as bruxas e bruxos presentes foram recebidos pelos Chouribebes, que mesmo tremendo em frente de tanta criatura do demo, lá "dançaram", com coragem, a sua famosa Haka.
Seguiu-se então o imponente espectáculo da luta do bem contra o mal, pelo grupo "Cryseia", com muito som, fogo e acrobacias, no palco e nas altas e seculares paredes do castelo. Claro que o mal acaba novamente por vencer e é necessário chamar o "bruxo-mor", o inigualável padre Fontes, para esconjurar todas as bruxas, e outros males do corpo, com a queimada entoada por todos mas apenas saboreada por alguns, ou não tivesse "muito" álcool e a vila não estivesse protegida pela Brigada de Trânsito por todos os lados, como se houvesse algo de raro a guardar (ou talvez seja apenas o défice do país).
Também imponente foi o fogo de artifício seleccionado para esta noite, que ajudou, ainda mais, a tornar esta noite inesquecível para os que pela primeira vez visitaram a "Terra das Bruxas". Sobrou ainda tempo para a actuação do grupo musical "Saltarellos". Para aqueles que acharam que a noite ainda era uma criança insuficientemente diabólica a animação continuou nos bares e discotecas da capital do Barroso.
Feira com remédios para todos os males
Ainda ao início da tarde do dia 13, bem antes das celebrações principais da "noite das bruxas", já o Multiusos abria as suas portas a mais uma "Feira do Esconjuro", um certame dedicado ao mundo esotérico e onde, por "artes mágicas", se procura dar as respostas que a medicina e a psicologia não conseguem. De facto, não faltaram os mestres do tarôt, da quiromancia, os videntes e médiuns, entre muitos outros "artistas". Também neste espaço se encontraram à venda artefactos relacionados com a temática das bruxas além de pinturas especiais para aqueles que quiseram marcar a diferença na noite de sexta-feira.
Ao final da tarde de sábado, dia 14, o cartaz desta feira, que se estendeu até ao dia 15, ainda incluiu um espectáculo de Dança do ventre – Raks Sharki.

Em Pitões também há Bruxedo
Mas não é só Montalegre que procura aproveitar a fama do mundo sobrenatural. Na aldeia de Pitões das Júnias, uma das mais genuínas e turísticas do nosso concelho, celebrou-se uma noite diferente no dia 14, sábado, intitulada de "Andanças das Almas Penadas". Esta iniciativa de "meter medo" coube à associação "O Fiadeiro de Pitões", Gaiteiros locais e Junta de Freguesia, que assim recuperaram esta maléfica tradição.
Tudo começou ao por do sol com a reunião no largo do Eiró e a dança das meigas à volta da fogueira. Seguiu-se um desfile pelos locais mais obscuros da aldeia onde o demónio foi incitado e todos os medos desafiados, antes de nova reunião e purgação final, com queimada à mistura.
Tudo isto serve para tentar tornar o nosso concelho mais apelativo a possíveis visitantes, e à falta de melhor, as bruxas vão fazendo a sua função, demonstrando bem que, o que pode dar azar e/ou meter medo a uns, pode dar sorte e ajudar a melhorar os depauperados cofres a outros.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?


Locations of visitors to this page Ponte Misarela