sexta-feira, junho 20, 2008

 

Barroso em Resumo

1) Agricultura Biológica em debate

No passado dia 7, e in-serido na 9ª edição da feira do livro de Montalegre, realizou-se um colóquio no auditório do pavilhão Multiusos intitulado "As potencialidades da Agricultura Biológica". A organização deste evento esteve a cargo da mais jovem cooperativa do concelho, a Cavada do Povo, Cooperativa Agrícola de Modo de Produção Biológico (MPB).
Ainda mesmo antes de começar a discussão sobre o tema "biológico", foi servido um almoço, no restaurante do multiusos, à base de produtos biológicos, que muito agradou à mais de meia centena de pessoas presentes (foto em baixo), e que contou com a simpática e indispensável colaboração do curso profissional de cozinha, coordenado pelo chefe Humberto Seixas, além do chefe Rui Teixeira, responsável pela confecção.
O colóquio propriamente dito (foto em cima) começou pouco depois das 15 horas e foi coordenado pela Dr.ª Gorete Afonso, directora da Biblioteca Municipal, em nome da organização da feira do Livro. Convidados a versarem sobre o tema foram o Eng. António Strecht, responsável pelo apoio técnico a algumas explorações biológicas do Entre Douro e Minho, e também ele produtor biológico; o Dr. Lázaro Simbine, o primeiro médico veterinário do país habilitado em pecuária biológica e que veio expressamente de Lisboa para este debate, e a Eng.ª Ângela Pereira, proprietária de uma loja em Braga, a Biobrassica, que vende exclusivamente produtos provenientes da agricultura biológica.
O Eng. António Strech começou por enumerar os princípios gerais necessários para todos os agricultores que se queiram converter a este modo de produção, onde a agricultura e a natureza coexistem em total equilíbrio. E apontou como principal desafio, sem dúvida, a conversão das mentalidades, uma vez que o MPB deve ser encarado como uma forma de estar na vida, mesmo tendo igualmente o objectivo do lucro.
O Dr. Lázaro Simbine concordou com o Eng. Strech de que o nosso concelho tem condições, como poucos, para apostar e ganhar com a agricultura/pecuária biológica, se for possível converter as mentalidades, repisando nesta importante tecla. Também procurou demonstrar que a pecuária biológica não é nenhum "bicho-de-sete-cabeças" e que o veterinário tem igualmente um papel importante, sobretudo na prevenção das doenças.
A Eng. Ângela Pereira falou de uma forma muito aberta e sem preconceitos sobre a comercialização de produtos biológicos. Ela própria já produz batata biológica no nosso concelho há 4 anos. Realçou a enorme procura que existe no mercado, mas no entanto, provou que a mais-valia deste tipo de agricultura não está nos lucros imediatos, uma vez que as margens são quase idênticas à da agricultura tradicional, mas sim no incremento da nossa saúde e dos nossos filhos, quer pelo consumo de produtos mais saudáveis, quer pela melhor conservação do ambiente que nos rodeia.
De seguida foi aberto o debate ao público presente, sendo levantadas várias questões, nomeadamente sobre algumas burocracias regulamentares/políticas que não permitirão uma total aplicação do regulamento europeu sobre este sector no nosso concelho, nomeadamente relacionado sobre os baldios.
Fechou o colóquio, em nome da Cavada do Povo, o seu presidente, Eng. Amadeu Fortunas, que agradeceu aos presentes, e fez um apanhado dos objectivos e do percurso já percorrido por esta cooperativa, que promete já para o final do Verão ter no mercado os seus primeiros produtos biológicos, sobretudo mel e batatas.


2) Feira do Livro de Montalegre 2008
Realizou-se entre o dia 5 e o dia 9 do corrente mês, no pavilhão multiusos, a edição 2008 da Feira do Livro de Montalegre, uma das maiores realizações culturais do nosso concelho, quer pelas actividades ligadas à leitura e aos livros, quer pelas outras actividades que completam o seu recheado cartaz. Durante estes 5 dias decorreu também mais uma mega exposição da Educ@ - Mostra Pedagógica, promovida pela comunidade educativa, e que apresentou os bonitos trabalhos elaborados pelos alunos do 1º ciclo do concelho ao longo do ano lectivo.
Isabel Alçada na Feira do Livro
A conhecida escritora Isabel Alçada abriu o certame no dia cinco na condição de Comissária do Plano Nacional de Leitura. A sua estadia ainda foi aproveitada para a celebração de um protocolo com o Município que prevê uma melhor articulação das actividades lectivas e um reforço no investimento.
Ainda neste dia, e no espaço exterior da feira do livro, chamou à atenção de todos uma espécie de nave espacial. Trata-se do "Champi", um "aparelho" da Fundação de Champalimaud que permite uma experiência tri-dimensional, interactiva e móvel com base num filme que transporta as crianças, entre os 9 e os 14 anos, através do interior do corpo humano (sessões de 20 minutos). Arrancou em Lisboa, no passado dia 10 de Abril, e está a percorrer todo o país e mais tarde irá visitar também a Espanha, numa experiência rara de ciência educativa. Em Montalegre foram os alunos do 2.º e 3.º ciclos do concelho que puderam experimentá-lo. Dia 5 os do Agrupamento de Escolas de Montalegre e dia 6 os do Agrupamento do Baixo Barroso.
"A Cabra Imigrante" e Nau Catrineta
Ainda no primeiro dia do certame foi apresentado o livro de Manuel Jorge Marmelo e Miguel Macho intitulado a "A Cabra Imigrante". Destaque na apresentação para a presença Delegada de Cultura do Norte da Helena Gil. Inserido numa colecção de 8 livros cujo projecto, denominado "Pintar o Verde Com Letras", passa por «proteger e valorizar um património que é de todos». Os livros abordam vários espaços como o PNPG (Parque Nacional Peneda Gerês). A obra contou igualmente com o contributo de alunos da EB1 de Tourém também presentes na apresentação.
A encerrar o primeiro dia decorreu a peça "Lá Vai a Nau Catrineta" pelo grupo de jovens inseridos no Clube de Teatro do Agrupamento de Escolas de Montalegre.
No segundo dia a Feira do Livro continuou a dar voz e espaço às crianças e jovens do concelho, desta vez as do agrupamento do Baixo Barroso e escola profissional das Minas da Borralha, com várias actividades que incluíram teatro, poesia, etc.
"Prolegómenos" e "Bitcho Bravo"
Devido ao fim-de-semana prolongado os últimos 3 dias da feira não tiveram o mesmo fulgor, ainda que continuassem com várias e interessantes actividades. Destaque no sábado, dia 7, para um almoço biológico seguido de um interessante colóquio sobre a mesma temática (ver peça ao lado). Na noite deste dia houve Revista à portuguesa com o espectáculo "Isto é demais" no auditório do Multiusos.
A tarde de domingo ficou marcada pela apresentação de mais um livro do escritor Bento da Cruz intitulado "Prolegómenos". Trata-se de uma recolha de várias crónicas publicadas ao longo de 30 anos no jornal Correio do Planalto que o escritor de Peireses fundou e ainda dirige. Estas crónicas são também um quadro do nosso concelho, e do evoluir das suas tradições, pintado bem à maneira de Bento da cruz, prestes a comemorar 50 anos de vida literária.
No dia 9, dia do município, e que marcou também o encerramento da feira, decorreu a apresentação pública de mais um livro, desta feita, com o título "Bitcho Bravo". Trata-se de uma obra do jornalista e escritor Ricardo Rodrigues, sobre os lobos, as suas histórias e lendas no concelho, baseadas nas actividades e estudos de um biólogo barrosão, conhecido pelo "Chico dos lobos", sobre esses animais ao longo de 10 anos.
Na noite do último dia ainda houve um espectáculo musical a cargo da Associação Social e Cultural de Paredes do Rio.


3) Montalegre recuou à Idade Média
No passado dia 4 de Junho, quarta-feira, a vila de Montalegre recuou ao passado com a representação de um dia na idade média, uma actividade da responsabilidade dos Agrupamentos de Escolas de Montalegre e do Baixo Barroso bem como a Escola Profissional das Minas da Borralha e que tem mobilizou todos os jovens em idade escolar do concelho, bem como as suas famílias que marcaram presença para verem os seus filhos a trajarem a rigor. Também o corpo docente, o pessoal auxiliar e administrativo das escolas se vestiram a preceito.
Para ajudar na organização deste evento vieram também até Montalegre alguns elementos do grupo envolvido na maior feira medieval do país, que se realiza todos os anos em Stª. Maria de Feira.
Como em outras realizações do género o secular castelo na vila barrosã foi o centro das celebrações, apesar da concentração ter ocorrido logo pela manhã junto do largo do município, o que atraiu logo muitos curiosos (foto em baixo - CMM). Ao todo foram várias as centenas de figurantes e actores envolvidos e que arrancaram num enorme cortejo, pela rua direita, até às imediações do castelo.
Aqui o ambiente da idade média ficou bem marcado com todas as personagens típicas da época, como os nobres, as damas da corte, os bobos, os jograis, os saltimbancos, os bufões, os mendigos entre muitos outros. Rezou-se uma missa em latim e até o mega-almoço, preparado à fogueira, foi comido à mão. Houve ainda lutas a cavalo, pessoas condenadas, jogo do pau, etc.
Para primeira experiência do género não correu mal, e pode vir a tornar-se um caso sério em anos futuros se merecer uma aposta forte da organização e o apoio do Município.


4) 37º Aniversário dos Bombeiros de Boticas
Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Boticas comemorou no passado dia 1 de Junho, domingo, o seu 37º Aniversário. A festa começou bem cedo, com a habitual romagem ao cemitério para homenagear os bombeiros e directores já falecidos, com o compasso a ser marcado pelo som das trompetes e dos bombos da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários do vizinho concelho de Montalegre.
Seguiu-se a formatura e a guarda de honra no quartel dos bombeiros e a cerimónia de imposição de medalhas de "bons serviços" que premeiam a dedicação ao serviço de voluntariado.
Logo depois, tempo para a inauguração da remodelada ambulância de transporte de doentes que, graças à colaboração do "Grupo de Amigos Aventura no Barroso", foi transformada numa ambulância em Tipo A2 com Rampa, de acordo com a legislação em vigor.
O comandante da Coorporação, Arnaldo Machado, lembrou e enalteceu o espírito de sacrifício dos bombeiros, quer na entrega à luta pelas causas comunitárias, quer na procura de formação para melhor poderem servir as comunidades.
O Presidente da Associação, Fernando Queiroga, fez questão de lembrar que, numa atitude economicista, mas sem retirar o brilho a estas comemorações, entendeu a Direcção festejar em família a passagem de mais um aniversário, deixando para as datas mais importantes as grandes festas.
Fernando Queiroga aproveitou ainda a ocasião para lembrar a abertura dos bombeiros à população e a resposta positiva que esta tem dado, agradecendo, entre outras iniciativas, a levada a cabo pelo "Grupo de Amigos aventura no Barroso".
O Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Campos, apontou também este grupo de amigos como um exemplo a seguir e a prova de que é possível as pessoas divertirem-se e ao mesmo tempo contribuírem para o desenvolvimento das várias instituições.
A festa continuou com a realização de uma Missa Solene e com o tradicional desfile apeado e motorizado pelas ruas de Boticas, sob o olhar atento dos muitos populares que se associaram a este momento de festa.
Seguiu-se um almoço convívio no Multiusos, no final do qual foram cantados os parabéns à Associação e cortado o bolo de aniversário pelos sócios fundadores desta associação.

Comments:
gostaria de saber como posso adquirir barata biológica produzida pela cooperativa agricola de cavado do povo. alguém pode dar uma dica ?

obrigado

joebarbosa@sapo.pt
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?


Locations of visitors to this page Ponte Misarela