quarta-feira, março 05, 2008

 

Região

1) Parque Nacional da Peneda-Gerês candidato português à eleição das Sete Maravilhas da Natureza

O Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) é o mais recente candidato português a ser uma das Sete Maravilhas da Natureza do Mundo, revelou recentemente a Câmara de Terras de Bouro, que promoveu a candidatura.
Apesar de considerar "importante a candidatura ter sido aceite", a Câmara de Terras de Bouro quer ir mais longe e, por isso, vai criar um comité que envolverá personalidades e instituições, para promover acções de sensibilização da população, no sentido do apelo ao voto nesta candidatura.
O Parque Nacional da Peneda-Gerês, que ocupa uma área de 70290 hectares, estende-se pelos concelhos de Arcos de Valdevez, Montalegre, Ponte da Barca, Terras de Bouro e Melgaço (ver mapa). Criado em 1971, o PNPG, que é o único parque nacional português, integra 114 aldeamentos, onde residem cerca de 10 mil pessoas, que se dedicam na maioria à agricultura, pastorícia e pecuária.
Nesta altura, poucos dias depois da candidatura ter sido aceite, o PNPG é o 240º mais votado, entre os 282 candidatos aceites.
A votação decorre até 31 de Dezembro. Nessa altura serão divulgados os 21 finalistas desta eleição, que ficam mais perto de ser uma das Sete Maravilhas da Natureza.
O melhor candidato português, segundo os dados de hoje, é o Vale do Douro, onde nasce o Vinho do Porto, que ocupa o 124º lugar.
Segue-se a candidatura do arquipélago das Ilhas Selvagens, situado a cerca de 230 quilómetros da Madeira, que está no 130º lugar, enquanto a Ria de Aveiro está actualmente no 200º lugar desta lista de candidatos.
A lista completa de candidatos integra 282 locais em todo o mundo, dos quais 61 na Ásia, 57 na Europa e 55 na América do Sul. Os restantes encontram-se em África (48), na América do Norte (45) e na Oceânia (16).

2) Por toda a região: Assaltos não param
A crise social que se vem agudizando no nosso país também já está a ter reflexo na nossa região (antes considerada muito sossegada e segura) no número de assaltos. Ainda no nosso último número noticiamos o roubo de uma ourivesaria em Montalegre.
Desta vez, no nosso concelho, o alvo escolhido foi a escola primária de Cabril. Os larápios, claramente à procura de dinheiro acabaram por não levar nada, mas arrombaram portas e vandalizaram o interior da escola, deixando um rasto de destruição.
Já em Valpaços, foi roubada uma casa de habitação, através de uma janela da cozinha. Os ladrões levaram a televisão e ainda uma máquina de cortar mato.
Na madrugada semana passada em Vidago foram vários os "mini-assaltos" a estabelecimentos comerciais, sempre à procura de dinheiro nas caixas registadoras, mas acabando por causar muita destruição à passagem dos ladrões.

3) Em Chaves - Reabriu feira semanal do gado
A feira semanal do gado já está a funcionar dentro da normalidade desde o passado dia 13 de Fevereiro, uma semana de atraso relativamente ao prazo inicialmente previsto pela autarquia flaviense, provocado pela demora da autorização da DGV (Direcção-Geral de Veterinária).
Recorde-se que devido às obras para a construção do parque Multiusos, em Santa Cruz, local onde semanalmente se realizava esta feira, a Câmara Municipal teve de construir um espaço provisório, por forma a garantir a continuidade da actividade de comercialização de gado (ovino, caprino, bovino e equídeo), até as obras do novo mercado ficarem concluídas. Ambos os espaços (o mercado provisório e o novo mercado) ficam localizados junto ao Ecocentro (Estação de Transferência) da RESAT.
As obras do novo mercado contemplam a construção de um edifício (com 2.400 m2), bem como a pavimentação de toda a área envolvente (14.400 m2).
Com o presente projecto, a autarquia quer garantir as melhores condições técnicas e de higiene, de modo a assegurar modernidade e competitividade a esta actividade agro-comercial.

4) Previdência Cautelar para reabrir o bloco de partos do Hospital de Chaves
O Presidente da Câmara Municipal de Chaves entregou na passada segunda-feira, dia 25, no Tribunal Administrativo de Mirandela, uma providência cautelar tendo como objectivo a reabertura do bloco de partos do Hospital de Chaves, encerrado pelo Governo a 27 de Dezembro. "Um erro lamentável", considera João Batista. Ao lado do autarca está a Comissão de Defesa do Hospital, que, há um ano, esteve também na primeira linha da grandiosa manifestação pela manutenção da Urgência Médico-Cirúrgica da unidade hospitalar.
Desde sempre, João Batista defendeu publicamente e por todos os meios disponíveis a maternidade de Chaves, argumentando que os serviços de saúde têm de estar próximos dos cidadãos e ter qualidade.
O objectivo desta petição é suspender o encerramento do bloco de partos, de forma a que seja possível às mães que o desejarem ter os seus filhos em Chaves. João Batista salienta que existem razões "técnicas e reais" que justificam esta medida, referindo, a título de exemplo, o encerramento das estradas na região devido ao gelo e à neve, como aconteceu recentemente.
Destaque-se que nesta acção, João Baptista conta igualmente com o apoio dos restantes do Alto Tâmega: Montalegre, Valpaços, Boticas, Ribeira de Pena e Vila Pouca de Aguiar.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?


Locations of visitors to this page Ponte Misarela