segunda-feira, fevereiro 04, 2008

 

Barroso em Resumo

1) X Feira Gastronómica do Porco
A décima edição da Feira Gastronómica do Porco de Boticas, que se realizou no fim-de-semana 25, 26 e 27 de Janeiro, voltou a registar um considerável sucesso, cumprindo-se as expectativas da organização, a cargo da Câmara Municipal de Boticas, a começar pelo número de visitantes, que terá rondado os 35 mil já esperados. Durante os dias de sábado e domingo foram milhares as pessoas que não quiseram perder a oportunidade de visitarem a Feira Gastronómica do Porco, degustarem os pratos típicos da região nas Tasquinhas da Feira, comprarem o afamado fumeiro do Barroso e de assistirem às actuações dos ranchos folclóricos e às chegas de bois, um dos grandes atractivos da agenda cultural do evento. Dada a grande afluência de publico, o Pavilhão Multiusos, dotado de todas as condições para a realização deste género de eventos, parecia pequeno, com as pessoas a movimentarem-se com grande dificuldade, o que traduz bem a dimensão que o certame já atingiu.
As "tasquinhas" voltaram a ser protagonistas principais neste certame e foram uma das grandes responsáveis pelo sucesso da Feira Gastronómica do Porco. Desde a abertura até ao encerramento da Feira não tiveram mãos a medir, vendo-se obrigadas a trabalhos redobrados para poderem responder às imensas filas de espera que se formavam perto da hora das refeições. Mas, também os restaurantes do concelho registaram uma afluência bastante superior ao que é habitual, demonstrando que a Feira Gastronómica não se confina exclusivamente ao espaço físico do Pavilhão Multiusos, sendo responsável por verdadeiras romarias a esta região do Barroso e contribuindo significativamente para o pulsar da economia do concelho.
Mas, também os produtores de fumeiro presentes no recinto tiveram razões para sorrir, chegando à tarde de domingo com os seus produtos praticamente todos vendidos, tal foi a procura e o volume de vendas registados desde o momento em que a Feira abriu as suas portas.
Por todas estas razões, no final do certame, Fernando Campos, presidente da Câmara Municipal de Boticas, encontrava-se visivelmente satisfeito, sublinhando que "este modelo de feira, onde a vertente gastronómica é destacada, foi claramente uma aposta ganha da autarquia". O autarca continuou garantindo que, "a qualidade do certame é reconhecida por todos, como o prova o largo número de visitantes que tivemos este ano", razão pela qual, afiança, "continuará a ser uma aposta desta autarquia".

2) Aniversário da Banda Musical de Parafita
No passado Sábado, dia 26, a Associação Cultural de Parafita, conhecida sobretudo pela sua Banda, comemorou mais um aniversário, e voltou a reunir os seus associados, familiares e amigos no já tradicional convívio.
No entanto, o ano 2008 será um ano muito especial para esta instituição secular do Barroso, e uma das mais importantes em termos culturais, porque ficará marcado pela inauguração da moderna Casa da Música, actualmente já em fase a acabamento. A data prevista para a inauguração deste empreendimento, denominado "Casa da Cultura de Montalegre", será o próximo dia 31 de Maio, dia que coincide com os 740 anos do foral desta aldeia barrosã.
Foi por isso com muita emoção, que os presentes, sobretudo os locais, se deslocaram ao local das obras. Do programa deste evento fez ainda parte o já tradicional concerto/desfile, pela Banda, através das ruas de Parafita, além do convívio gastronómico final.
A próxima festa já tem data marcada para o próximo dia 31 de Maio.

3) Comemorações do São Sebastião
No passado dia 20 de Janeiro, o S. Sebastião voltou a ser comemorado um pouco por todo o Barroso. Em Montalegre, na Venda-Nova e Salto, e em Boticas, nas Alturas de Barroso e Couto de Dornelas. O facto de ser domingo e ter estado bom tempo ajudou ao enorme sucesso das celebrações deste ano do Santo protector das colheitas e dos animais.
Além do culto religioso, o que mais atrai os milhares de visitantes ao barroso, são os vários repastos que são oferecidos, quase todos eles à base das iguarias do porco. Na Venda Nova é oferecido pão e carne de porco cozida, em Salto pão e vinho benzidos, nas Alturas é famosa a feijoada à barrosã, e em Couto de Dornelas carne de porco, arroz e pão milho.
De facto, o S. Sebastião do Couto é o mais famoso e que atrai mais pessoas, talvez por ser conhecido pela maior mesa do país. No entanto, este ano teve uma atracção especial pois pode ser a última vez que se realiza, tudo por causa de um diferendo entre o pároco local, Fernando Guerra, e a população em torno da posse da Casa do Santo, um local que serve de apoio à realização da festa.
O pároco registou a habitação em nome da igreja, alegando que a mesma é utilizada há mais de 20 anos (Usucapião) pela Comissão Fabriqueira. A população alega que a casa lhe pertence e em seu favor parecem existir actas e deliberações da Junta e da Assembleia de Freguesia onde consta que a casa só foi construída já na década de 90.
Uma vez que não houve entendimento a população tenta impugnar o registo do edifício através do tribunal, tendo-se realizado já uma sessão ontem. Se o tribunal der razão ao padre a população admite acabar com a festa uma vez que é naquela casa que são guardados todos os objectos necessários para realização da festa. Fica-se agora a aguardar que tudo se resolva pelo melhor para que esta tradição não se perca.

4) Carnaval volta às ruas do Barroso
No próximo fim-de-semana e na terça-feira de Carnaval várias serão as aldeias do nosso concelho com desfiles e festejos alusivos à época mais burlesca do ano. E são as povoações da raia, talvez contagiadas pelo famoso Entroido galego, que vão ganhando tradição nesta celebração. De facto, Tourém, Pitões das Júnias e Vilar de Perdizes, já há alguns anos que tem marcado pontos no Carnaval barrosão, ainda quase puro e sem ameaças do samba e de outras descaracterizações trazida do Brasil, nosso país irmão. Aqui são os animais, os caretos, os trajes tradicionais e as lides agrícolas que são sublimadas.
Primeiro domingo em Tourém, onde os assustadores "felipeiros" desfilam com as croças e roupas velhas, no meio dos carros do gado, através das ruas da aldeia. Animação não faltará aos convivas, além do tradicional lanche final.
Na terça-feira, dia de Carnaval, será a vez de Pitões e Vilar de Perdizes fazerem os seus desfiles. Em Pitões os burros, os chocalhos e as gaitas de foles são dominantes e a animação é constante ou não fosse esta a terra dos gaiteiros. Em Vilar, os burros também marcarão presença, misturados com outros veículos agrícolas mais modernos, num cortejo onde a crítica social atinge o seu auge, sobretudo nas habituais quadras satíricas, antes da queima do Entrudo, já com a tarde a terminar.
Três boas oportunidades para dar umas valentes gargalhadas, ou como os técnicos agora dizem, sessões de risoterapia. Só se espera que o S. Pedro também se ria nesta quadra.

5) "Julieta e Romeu" na Biblioteca
Na passada terça-feira, a companhia de Teatro Panda-pá encenou uma peça de teatro no auditório da Biblioteca Municipal de Montalegre intitulada "Julieta e Romeu". Esta acção decorreu no âmbito do Programa Itinerâncias Culturais em parceria com a DGLB (Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas).
O público-alvo desta actividade foi os alunos (e alguns professores) do Ensino Secundário do Agrupamento de Escolas de Montalegre, que assim ocuparam muito bem uma tarde livre.
A peça foi muito interessante, cativando e emocionando os alunos presentes, apesar de ser toda encenada por uma única pessoa.

6) Em Outeiro - EDP melhora rede local
O lugar e freguesia de Outeiro, do Concelho de Montalegre, passou a dispor de melhor qualidade de energia eléctrica, graças à colocação em serviço de um novo posto de transformação e respectivas redes de média e baixa tensão.
Esta obra desenvolvida em parceria com o Município de Montalegre, veio permitir a ligação das infra-estruturas eléctricas da estação de bombagem e depósitos de água, construídos pelas Águas de Trás-os-Montes, naquele lugar e reforçar a rede distribuição de baixa tensão existente, disponibilizando uma potência de 100kVA, que veio beneficiar directamente todos os clientes de Outeiro, em cujas instalações foram eliminadas as quedas de tensão, que começavam a ser significativas em resultado dos aumentos de consumos e, sobretudo, devido à distância ao posto de transformação que servia, simultaneamente, as localidades de Outeiro e Parada.
Além da eliminação das quedas de tensão, em Outeiro, estas obras perspectivam a obtenção de benefícios em termos de perdas, redução do número de interrupções de fornecimento de energia e diminuição dos tempos de reposição do serviço nas duas aldeias.
O posto de transformação fica situado junto à Estrada Municipal, à entrada da aldeia, e o transformador que o equipa, foi seleccionado de forma a garantir potência disponível para satisfazer futuros aumentos de consumos dos clientes existentes e os pedidos de novas ligações.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?


Locations of visitors to this page Ponte Misarela