terça-feira, janeiro 22, 2008

 

Chegas de Bois - Natal e Fim de Ano


Foram várias as chegas de boisque se realizaram no período das "festas" de Natal e de fim-de-ano/Ano Novo, aproveitando o facto de muitos emigrantes se encontrarem entre nós, pois continuam a ser eles os principais "patrocinadores" das chegas. Pena a insistência dos organizadores em marcarem para os mesmos dias e horas chegas em diversos locais, sobretudo na altura em que se atravessam os dias mais pequenos do ano. Tivemos a oportunidade de assistir a várias chegas das quais destacamos a do dia 25 em Montalegre, organizada pela "Associação o Boi do Povo", e as do dia 30 em Vilar de Perdizes organizadas pelo Calvô.
Na tarde dia de Natal (25/12) realizou-se no "chegódromo" do Senhor da Piedade uma das chegas mais esperadas do ano entre o "Gancho" do Germano e do José de Montalegre (Castanho/avermelhado na foto em cima) e o "Rascalho" do Chico de Mourilhe/Peirezes (preto). E os dois bois não deixaram os seus "créditos por cornos alheios", proporcionado, aos poucos mais de 150 espectadores presentes, uma tremenda e intensa chega de quase 15 minutos sem descanso.
De facto, os presentes só se puderam queixar do mau tempo que se fez sentir naquela tarde, mas deram por bem empregues os 5 euros do bilhete, pois a chega superou as expectativas, quer pela entrega dos animais, quer pela incerteza quanto ao vencedor, pois a cada investida de um respondia o outro com um contra-golpe violento, e isso notou-se no final no sangue que pintou a cabeça dos bois. O "Gancho", talvez por ser mais experiente, acabou por vencer, e fê-lo com mérito, numa último arranque, e numa fase em que os dois animais já estavam muito desgastados e mereciam os olés do público. Muitos já afirmavam mesmo que se devia separar os animais para adiar o vencedor para outra empolgante chega, mas o galardoado "Rascalho" (aparentemente o dono depois desta derrota terá investido 35 mil euros em 2 novos animais) lá fugiu, para gaúdio dos adeptos do imparável "Gancho".
No dia 30, o último Domingo de 2007, assistimos a mais duas boas chegas no "chegódromo" do santuário da Senhora da Saúde em Vilar de Perdizes, além de um espectáculo diferente para as nossas bandas com a largada de um touro "bravo".
A tarde nem começou da melhor forma uma vez que o Boi do Domingos de Fiães do Rio, um dos cabeças de cartaz, não mostrou vontade de enfrentar o Boi de Montalegre do Toninho e do Nuno. Foi necessário recorrer ao boi de substituição, um cruzado de Charolês de Santo André. E não é que o suplente surpreendeu e fez uma boa chega de quase 15 minutos, chegando a dar a sensação que podia vencer por ser mais corpulento. No entanto, o boi de Montalegre, já com alguma experiência, usou muito bem a afiada galha para ferir o adversário, com boa cabeça mas quase sem cornos, e que acabou por fugir com os muitos golpes desferidos e que lhe fizeram mossa no chanfro e à volta dos olhos.
A segunda chega foi ainda mais espectacular pois opôs dois bois mais "iguais", e bastante experientes: um Pedro da Aldeia Nova e do Carlos Piloto de Pedrário (chega em baixo). Apesar da maior irreverência do primeiro, que talvez por ser mais jovem impôs um ritmo sempre agressivo à luta, a vitória acabaria por surgir, com alguma surpresa dos presentes, ao denominado boi "da fome" de Pedrário, que soube esperar os momentos certos para desferir os golpes fatais e que lhe iriam garantir a vitória ao fim de quase 20 minutos de combate.
No final das chegas deu-se a largada de um touro usado nas touradas que muito animou o público presente, que o desafiava. Como alvo foi usado um boneco ao qual o touro desferiu vários ataques. Ainda se pensou que algum grupo dos presentes ganhasse coragem para fazer uma "pega", à moda do barroso, ao animal que teria pouco mais de 200 kg, mas isso não passou das intenções de alguns mais "valentes".

Comments:
Botai forte com as chegas de bois.
Parece que em Montalegre, o desporto mais praticado são as chegas de bois.
Os bois são uns atletas do caneco, não são?
E essa gente toda, a vê-los turrar... aquilo é que é fazer desporto! Alguns até devem ficar lesionados quando gritam pelo boi da sua preferência, e depois não podem comparecer no jogo seguinte.
Há muitos atletas no concelho, pelo que se vê quando há uma chega, pois o recinto costuma estar cheio de "atletas" a gritar aos bois...
E quem não pratica o desporto de ver chegas, que desporto pratica?
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?


Locations of visitors to this page Ponte Misarela