segunda-feira, julho 30, 2007

 

Opinião

O Professor de Sezelhe - XII

Deveres dos pais para com os seus filhos
Depois dos deveres recíprocos de amor e auxílio entre marido e mulher, vem o dever da educação dos seus filhos.
É ao marido principalmente que lhe compete a parte física e social.
O primeiro dever dum pai para com os seus filhos é dar-lhes bom exemplo.
Os filhos imitam tudo quanto ouvem e vêem fazer a seus pais: Se os pais forem bem educados, religiosos e tementes a Deus, os filhos sê-lo-hão também; se lhes ouvirem palavras obscenas, torpes, pragas , etc., os filhos pronunciá-las-hão também; se os pais forem odientos, intriguistas, etc., os filhos sê-lo-hão também; se entre o marido e a mulher se viver em contínua guerra, ou pelo contrário, viverem em santa paz e harmonia, os filhos viverão também; se os pais forem preguiçosos que aborreçam o trabalho, ou pelo contrário se forem diligentes, activos e trabalhadores, os filhos serão também; se os pais forem analfabetos, isto é, que desconheçam a sublime arte de ler e escrever e que aborreçam a instrução, os filhos serão também e aborrece-la-hão também; finalmente, se os pais tiverem qualquer arte ou ofício, os filhos terão a inclinação para a mesma arte. É esta uma verdade tão provada que escusa demonstração. Cada um colhe consoante semeia.
Há três vícios que muito comummente atacam o homem:- o vinho ou alcoolismo, o tabaco e o jogo.
O vinho
Qualquer destes três vícios é a ruína da alma,, a ruína do corpo e a ruína da família.
O homem que se deixa dominar pelo vício do vinho ou bebidas alcoólicas, que se embebeda constantemente, arruina a sua alma, porque comete o pecado mortal da gula, perde a inteligência e a razão, assemelha-se aos brutos irracionais, tais como: a um cão, porque só lhe dá para falar, ou antes ladrar, porque a língua se lhe prende e não sabe o que diz, ou diz aquilo que não deve dizer; a um leão, porque lhe parece dominar tudo com a sua força e tudo esmagar entre as mãos, quando, afinal, até uma criança faz dele o quanto quer, porque não tem juízo nem pernas que o segurem; finalmente, assemelha-se a um porco, porque se roja pela lama e adormece. O resultado é meter-se em desordens, dar ou levar pancadas, ficar sem a vida ou sem saúde, pregar com o corpo numa cadeia ou numa prisão maior ainda, gastar o que tem, e se calhar o que não tem, na justiça e ,finalmente, deixar a família desgraçada.
Sim, porque o homem bêbado, como não sabe o que faz, é capaz de tudo.
Pode-se dizer que os bêbados são os que fornecem maior contingente para os numerosos crimes que se praticam no mundo.
Além disto tudo, o vinho ou álcool, queima os intestinos, predispõe para a tísica e para a morte. Os alcoólicos todos morrem tuberculosos ou tísicos. É vulgar dizer-se que o vinho dá forças. Não é verdade:- o vinho demasiado tira as forças e faz emagrecer a pessoa . Do mesmo modo se diz que a aguardente aquece. Também não é verdade:- os estragos que a aguardente produz no estômago são terríveis: queima-o, dilata ou retrai-o, queima-lhe o suco gástrico; mais tarde tira a vontade de comer, dificulta a digestão, empobrece o sangue, tira o calor natural, produz tremuras e finalmente a tuberculose e a morte quando menos se espera.
Concordo que o vinho bebido com regra, à hora das refeições, faz bem, principalmente para os organismos que não têm predisposição para o artritismo ou para as nevroses, se possui boa saúde, se não padece do estômago nem de nevralgias ou dores articulares nem de herpes; finalmente, se não têm tendência para a ira e não se encolerizam, porque de contrário prejudica e agrava todos estes males. A aguardente faz sempre mal e muito pior sendo bebida em jejum.

(Continua)
Por Dias Vieira

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?


Locations of visitors to this page Ponte Misarela