terça-feira, julho 17, 2007

 

Destaque 2 - Opinião

Como no Tempo da Outra Senhora

O Primeiro-ministro de Portugal veio a Montalegre no passado dia 23 de Junho.
Fomos, nesse dia, presenteados pelos governantes da terra, de um quase reviver o passado, ao seu melhor nível. Digo quase, porque falhou a adesão popular. O povo já não vai em cantigas.
Quanto ao resto, lá estavam as valetas aparadas, claro que à moda actual e desta terra, sem brio, porque onde a máquina encontrava um obstáculo, seja ele poste, um sinal de trânsito ou outro, lá ficava a ervinha a ladeá-lo.
A rua que passa junto ao Centro de Saúde levou alcatrão à pressa de rotunda a rotunda e, não faltou a banda, a fanfarra e os gaiteiros.
Como não podia deixar de ser, também tivemos um lanche convívio e chegas de bois.
Para os mais novos, podem ficar a saber que tudo era semelhante quando António Salazar, Marcelo Caetano ou Américo Tomás, se deslocavam e visitavam o interior.
Por onde o Primeiro-ministro não passou, tudo ficou na mesma. As valetas tapadas pela erva ou lixo, os passeios a ajardinar e os buracos nas ruas e estradas a envelhecer.
Que triste sina nós temos. Elegeu-se um executivo camarário de esquerda, alguns nos tempos imediatos à revolução de 25 de Abril de bastante esquerda, e agora governam-nos à maneira daquilo que tanto criticavam e contra os seus ex. ideais.
Teríamos algum melhoramento se o Primeiro-ministro viesse passar férias a Montalegre, para que a Câmara o presenteasse com a limpeza mesmo sem brio e fizesse alguma obra necessária, sem ser ano de eleições, melhorando a nossa qualidade de vida, principalmente a daqueles que ainda vão teimando em cá ficar e já são muito poucos.
Pior do que isto só o que veio a seguir.
Para 3 de Julho foram as nossas caixas de correio invadidas por convites em cima da hora, para participar na recepção ao Senhor Ministro da Agricultura, que se deslocava a Montalegre para falar do plano de Desenvolvimento Rural e dos Fundos Comunitários e para fazer a entrega da Quinta da Veiga ao Município de Montalegre.
Lá estava o auditório da Cooperativa quase cheio de Funcionários da Câmara, aos quais foi dada dispensa de serviço, mas como em Montalegre todos temos um pequeno jardim ou então um vaso, logo todos somos agricultores.
Haja vergonha.
Para além dos elogios de parte a parte como mandam as regras, do Plano de Desenvolvimento Rural e dos Fundos Comunitários, pouco ou nada se disse.
Quanto à entrega da Quinta da Veiga ao Município de Montalegre, nem vê-la. Nada de protocolo, apenas o desafio de se apresentar um projecto para o Ministério analisar. Diga-se, em abono da verdade, que o Senhor Ministro teve mais bom senso e inteligência, apesar de ninguém ter dúvidas que, nas circunstâncias actuais, um dia a Quinta da Veiga será para a Câmara e será então outro elefante branco como a pista e o multiusos, mas até lá será a próxima bandeira eleitoral, apesar de já ter sido falada nas eleições anteriores.
Por fim lá foi a banda, importada, a toque de caixa rua abaixo, seguindo-se o lanche e as chegas de bois, como no tempo da outra senhora.
Com tanta comezaina e festarolas, os cofres da câmara vão ficando ainda mais magros, tal como as obras que ficam adiadas para o ano das eleições.
E como no tempo da outra senhora, os do contra, aqueles que não concordam, os que dão conta com mágoa e tristeza que a sua terra está doente, calam-se. Porquê?

Comments:
pois é pois é,
eu ainda gostava de saber o que está a fazer na camara o pessoal da oposiçao a serio que gostava, e depois ainda querem ganhar eleiçoes, estes fazem as obras é o que importa, voces acham que a populaçao de montalegre tem cultura suficiente para criticar masmarrachos e pistas para azeiteiros. que se ha-de fazer quando aos da oposiçao parece que comem do mesmo prato.
é triste o pessoal bem critica mas coitados critica em blog nao faz obra. onde estavam os senhores da oposiçao quando veio o PM ou o Ministro da agricultura? falam falam coitados, é tudo a mesma loiça, mas entregaramn-lhe uma cartita lá ao PM.
isto é assim quando nao os vences junta-te a eles.
e o que se passa na oposiçao é só o refelexo da oposiçao que nao faz o senhor marques mendes.
atençao eu nao tenho partido, mas simpatizo com o socrates, mas para bem da democracia quer-se pessoas inteligentes na oposiçao quer no governo quer em montalegre coisa que nao acontece. E para fazer oposiçao ao socrates nao é qualquer um, ele é uma gajo esperto e está a fazer alguma coisa bem e outras mal como sao todos.
parece que a aposiçao é so pessoal que nem quer cargo la camara, que nao quer ganhar uns trocos os que querem ganhar trocos calam-se.
os da oposiçao so se lembram na campanha de colar uns cartazes.
um abraço triste terra, nem assino nem vale a pena se houver uma mobilizaçao eu alinho, agora andar com bandeirinhas nos dias de campanha isso é pra tachos.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?


Locations of visitors to this page Ponte Misarela